"O Pinhal era um oásis. Nos meses de seca, calor e fumaça era só transpor o caramanchão de maracujá e já se sentia a fragância das flores de laranjeiras, jasmim e manacá, assim como a frescura do ar devido aos repuxos, reguinhos e bicas d'agua."

Elisa de Arruda Botelho
Casa do Pinhal - Todos os direitos reservados. ©2011 - Desenvolvido pela Williarts Internet